Será que podemos levar a afirmativa a sério? Na minha opinião, podemos sim e ainda coloco mais lenha nesta fogueira: colaboração, mais eficiência, menos desperdício e mais lucro. Afinal, uma coisa leva a outra.

Neste artigo vamos falar um pouco sobre a colaboração, porém no seu estado mais prazeroso, a Economia Colaborativa. Sabe o que é? Já ouviu falar? Caso não, aconselho ser mais curioso, clique aqui (mas volte e termine o texto) e descubra como a colaboração tem mudado muita coisa

“Ma oe quem quer dinheiro”

Vivemos em um mundo totalmente capitalista, onde muitos ainda se matam, seja pela busca de mais riqueza ou até mesmo de poder. Mas, estaríamos nos aproximando do fim da era dos altos ganhos, do capitalismo excessivo? 

Entretanto, o foco, aqui, não é discutir sobre os padrões da política econômica, mas sim qual o papel da colaboração neste conjunto.

Respondendo a nossa pergunta, estamos em fase de transformação para um capitalismo mais consciente, deixando um pouco de lado o princípio do hiperconsumo e do sucesso a qualquer custo. E esta mudança impacta o modo em que vivemos e como fazemos negócio.

Vejamos pelos números. Em 2015, a economia compartilhada gerou um total de receitas brutas de US$ 31,7 bilhões, de acordo com um relatório da Comissão Europeia. 

Esse mercado pode valer até fabulosos US$ 644 bilhões. Isso quer dizer que muito, mais muito money vai rolar, porém de uma forma menos agressiva e cada vez mais sustentável.

Apesar, disso, este não é um movimento novo se analisarmos historicamente.  Tribos indígenas, por exemplo, já utilizam da colaboração entre si para sobreviverem e naquele contexto iniciaram um comércio de trocas. Este movimento novo da economia colaborativa é a concretização dessas trocas que já existiam, porém através de uma nova percepção do mundo.

Quem são os desbravadores ?

Ahh a tecnologia! Linda ela, né? Foi ela a responsável por este novo cenário de mudanças. Veja você mesmo o tremendo sucesso de empresas que estão facilitando o compartilhamento, troca de serviços e até de objetos. 

Uber, Airbnb e Tem açúcar provam que isso é tendência e a visão do limite está longe de ser enxergada. Daan Weddepohl, fundador da Peerby (plataforma holandesa de empréstimos de objetos domésticos sem intermediários) acredita que a economia colaborativa será uma “força desestabilizadora que dará lugar a um modelo econômico mais eficiente […]”.

A tecnologia, além de estar derrubando custos e otimizando processos em grandes escalas, continuará facilitando e aumentando o número de serviços. Isso quer dizer que empresas bem sucedidas serão aquelas que utilizarem deste benefício para melhorarem suas estruturas.

Leon C. Megginson durante um discurso em 1963 sobre a teoria da evolução de Darwin nos diz uma passagem que serve como luva, não para a origem das espécies, mas sim sobre a evolução do economia colaborativa, “Não é o mais forte que sobrevive, nem o mais inteligente, mas o que melhor se adapta às mudanças.”

Seu negócio está pronto para se adaptar?

Você usa de serviços compartilhados, evitando os altos custos, por exemplo? Muitos não se adaptam às mudanças que a transformação provocada pela colaboração pode trazer. O receio é que isto os obriguem a fecharem as portas.

Quero Imagens

Apesar do Digital ser o presente, não se limite apenas nisto. A colaboração está presente nos meios híbridos entre online e off-line

Veja alguns exemplos:

Citado pelo Sebrae, a Axial Holding é um exemplo da economia colaborativa. Ela possui uma rede de colaboração entre ela e seus produtores rurais. Para saber mais, confira mais detalhes aquiHá também o exemplo de uma empresa norte americana de gerenciamento de pedidos online, a ChowNow, que funciona como o nosso ifood, e que desenvolveu uma parceria com a Uber para realizar as entregas.

São muitos os exemplos e ainda mais o resultados benéficos que a colaboração pode trazer não só para um negócio, mas para o todo. 

A N Coisas Digitais surgiu a partir da colaboração, da ideia de conectar desconhecidos com interesses e necessidades em comum. Nós te auxiliamos em como a Colaboração pode funcionar e ser útil na sua empresa. 

Dessa forma, lembre-se sempre de refletir: como a colaboração pode ser peça fundamental na redução de custos e otimização de processos dentro da sua organização?

 

 

Leave a Reply